Jasminum officinalis – Jasmineiro-Galego

ramalhete de três flores amarelo intenso, cada com seis pétalas e sete botões de jasmineiro-amarelo, Jasminum odoratissimum
Jasminum odoratissimum – Jasmineiro-amarelo
28 Março 2021
sabina-da-praia, gálbulas maduras (frutos) – Juniperus turbinata subsp. turbinata
Juniperus turbinata – Sabina-da-praia, Zimbreiro
14 Abril 2016

Jasmineiro-Galego, Jasmim-Branco

JASMINEIRO-GALEGO : ABREVIADO

O jasmineiro-galego foi introduzido no continente europeu durante o século XVI, vindo provavelmente da Índia ou da China. É um arbusto escandente de folhagem perene ou caducifólia, conforme o clima. A partir de Maio, durante o Verão e parte do Outono floresce em abundância. As pequenas flores brancas, agrupadas em ramalhetes, são muito nectaríferas e possuem um perfume doce e inebriante que atraem numerosas abelhas e outros insectos polinizadores.
Esta espécie é típica do género Jasminum, descrita por Lineu em 1753 a partir de espécimes provindos da Índia.

 

 

 DESCRIÇÃO

Hábito: arbusto trepador, com longos caules quadrangulares e sarmentosos até 7 metros, que se enrolam em suportes. À medida que envelhecem, os caules tornam-se lenhosos e castanho-claros. Os ramos recentes com folhas, são verdes, glabros, ou com pouca pubescência e estriado-angulares.

folhas opostas, pecioladas, imparipinuladas, glabras, verde-escuro e mate. Cada folha é constituída por (3) 7-9 pínulas inteiras, ovado-lanceoladas de 40 x 17 mm, sésseis e com a base assimétrica. Todas têm a nervura mediana saliente e as secundárias bem aparentes. O folíolo terminal peciolado e acuminado é maior que os laterais. A folhagem é perene, ou semi-perene conforme o clima.

inflorescências terminais ou axilares, em corimbos simples com 3-12 flores hermafroditas e pediceladas (1,6-20 mm); cálice com lóbulos de 5-12 mm; corola branca com tubo de 13-17 mm e 4-5 lóbulos ovais e afilados de 7-12 mm, geralmente avermelhados na parte externa; 2 estames e 2 carpelos, com as anteras visíveis à entrada do tubo. A floração muito aromática, ocorre de Maio a Outubro-Novembro.

O fruto, é uma baga globosa negra quando madura.

O ritidoma dos caules do jasmineiro-galego é castanho-claro, mas verde, glabro e estriado nos ramos recentes.

 

ECOLOGIA

O jasmim-branco é uma planta rústica de crescimento rápido, que resiste a temperaturas negativas; perde as folhas a partir de 5 °C negativos e a parte aérea a partir dos 12 °C negativos; deve então proteger o pé com palha para obter novos rebentos no ano seguinte. Aceita todo o tipo de substrato, com preferência por solos ricos em nutrientes, bem drenados e algo húmidos. Desenvolve-se ao abrigo do vento, em locais quentes, solarengos ou de meia-sombra.
Longevidade mais de 10 anos.
Propaga-se por semente e estaca.
Resiste à poluição urbana.

 

 DISTRIBUIÇ­ÃO

O jasmineiro-galego parece ser nativo da região dos Himalaias. Desenvolve-se nas províncias do sudoeste da China, Índia, Nepal, Paquistão, leste do Afeganistão, prospera no Cáucaso e em redor deste: Turquia, Geórgia e norte do Irão.

Em Portugal é cultivado em jardins como planta ornamental. Ao escapar dos jardins, encontra-se hoje naturalizada em zonas rurais (bosques, sebes e ao longo de rios). A naturalização do jasmim-branco, aconteceu também em quase toda a bacia mediterrânica: Espanha, França, Itália, ex-Jugoslávia, Roménia e até na Flórida (EUA).

 

USOS

Conhecido como planta ornamental na Europa, desde a Época dos Descobrimentos, o jasmineiro-galego conquistou os jardins europeus devido à sua abundante floração branca e ao doce perfume que dela exala. Planta fácil de cultivar e de crescimento rápido, aceita qualquer substrato desde que algo húmido, em plena terra, floreiras ou vasos. Como planta volúvel, necessita der um suporte para as lianas revestirem muros, treliças, redes e pérgolas, desde que devidamente encaminhadas por arames. Em adulto, o jasmim-branco chega aos 7 metros por 3 m de largura. Com o objectivo de controlar o desenvolvimento deste jasmim, deve podá-lo após o fim da floração.

O jasmim branco é uma planta medicinal. As flores secas proporcionam agradáveis infusões perfumadas. São um bom sedativo para acalmar a tosse e tirar as dores de cabeça.

É também uma das espécies mais utilizadas em perfumaria.

 

ADICIONAL

Outros jasmineiros cultivados em Portugal

Para além dos jasmineiros apresentados nestas páginas, as espécies de jasmins asiáticos mais comuns que poderá encontrar em jardins públicos ou privados em Portugal são:

Jasminum grandiflorum – jasmim-espanhol, Jasminum mesnyi jasmim-primavera, Jasminum nudiflorumjasmim-de-inverno, Jasminum polyanthum – jasmim-rosa, Jasminum sambac jasmim-da-arábia, Trachelospermum jasminoides – jasmim-estrelado, e outros.

 

 

 

Família: OLEACEAE

Nome científicoJasminum officinalis L.

Publicação: 1753

Grupo: folhosa perene

Nomes vernáculos: jasmineiro-galego, jasmim-branco, jasmim

 

Se pretende partilhar um comentário, colocar uma pergunta à comunidade dos utentes, acrescentar uma informação, ou observação, saiba que é possível fazê-lo; não precisa de se registar neste sítio. Basta digitar a sua mensagem no espaço “iniciar uma conversa“, depois clique no botão enviar e escolha, “Prefiro publicar como convidado”.