Cheirolophus sempervirens – Lava-pé

página superior do lódão-bastardo - Celtis australis
Celtis australis – Lódão-bastardo, Agreira
10 avril 2016
coroas de flores da pascoinhas - Coronilla glauca
Coronilla glauca – Pascoinhas
11 avril 2016

Lava-pé, Viomal

MORFOLOGIA

O lava-pé ou viomal é um subarbusto perene, herbáceo com base lenhosa podendo atingir 1,5 m de altura. O caule lenhoso possui ritidoma acinzentado e fissurado longitudinalmente, desprovido de folhas. Os ramos superiores frutescentes, não lenhosos, podem ser algo avermelhados, rectos, ramificados, pubescentes e folhosos.

Folhas de 160 × 50 mm, simples, híspidas, alternas, lanceoladas, com ápice agudo, por vezes recurvado; margens levemente serradas. Sendo as basais curtamente pecioladas e acunheadas, e as restantes sésseis, inteiras, sem lóbulos basais. As folhas diminuem de tamanho, da base ao longo da haste. A página superior é verde-escuro e a inferior mais clara; a nervura central é saliente e as secundárias bem visíveis.

Flores, capítulos florais solitários, sésseis na extremidade da haste, corola magenta ou cor-de-rosa constituída por longos florículos tubulares; as flores externas são estéreis ou femininas de 25-30 mm e as internas hermafroditas com 23-30 mm. Invólucro ovóide de 15-25 × 12-22 mm; brácteas coriáceas, imbricadas e glabras, aparentemente dispostas em 8-11 séries; são oblongas ou oblongo-lineares com base e margens verdes, sendo a parte central púrpura; terminam por pequenos apêndices ciliados, longos e esparsos.

A floração vai de Abril a Setembro. Os frutos são pequenos aquénios subcónicos, glabros, brilhantes, com 6-2 mm. Propaga-se por semente.

 

ECOLOGIA

Desenvolve-se nas encostas e taludes ao longo de cursos de água, clareiras, orlas de bosques; também a encontramos em afloramentos rochosos, lugares secos e pedregosos e bermas de caminhos; aceita locais soalheiros; preferência por solos algo húmidos e calcários ou, argilo-arenosos.

Não vai além dos 500 m de altitude. Planta que cresce na faixa costeira centro e sul, até ± 50 km para o interior.

 

DISTRIBUIÇ­ÃO

Distribui-se pelo centro e sul de Portugal; região ocidental mediterrânea (Espanha, Itália, Argélia e pontualmente sul de França).

 

ADICIONAL

Mudança de género do lava-pé por Josef Dostál

Cheirolophus sempervirens fora primeiro descrito e nomeado por Carl Linnaeus (Carlos Lineu). Depois fora reclassificado por Auguste Nicolas Pomel em 1874, classificação que continua válida. Anteriormente, Brotero designou-a Centaurea uliginosa em 1804, mas o botânico checo Josef Dostál (1903-1999) mudou o género em 1976, e é esse o nome em vigor actualmente. O género Cheirolophus conta com cerca de 27 espécies, e faz parte da família das Asteráceas (também pode encontrar o termo Compositae, que não é aceite na nomenclatura botânica). Embora não seja evidente à primeira vista, saiba que os malmequeres como as alfaces pertencem igualmente a esta família.

Lava-pé fotografado no Planalto das Cesaredas

As fotografias de lava-pé ou viomal aqui apresentadas, foram tiradas no Planalto das Cesaredas; perto dos riachos dos vários desfiladeiros e nas encostas viradas a norte do mesmo.

 

Família:

ASTERACEAE

 

Nome científico:

Cheirolophus sempervirens (L.) Pomel

 

Publicação: 1874

 

Grupo: folhosa perene

 

Nomes vernáculos:

lava-pé, viomal

 

 

Se pretende partilhar um comentário, colocar uma pergunta, acrescentar uma informação, ou observações, informamos que é possível fazê-lo sem que tenha de se registar neste sítio. Basta digitar a sua mensagem no espaço « iniciar uma conversa« , depois clique no botão enviar e escolha, “Prefiro publicar como convidado”.