A Árvore

Cada árvore é um ser para ser em nós
28 mars 2016
Outono
28 mars 2016
Cada árvore é um ser para ser em nós
28 mars 2016
Outono
28 mars 2016

A Árvore

 

Árvore, — amiga constante,
Desde o berço à sepultura!
Bemdita a mão que te plante,
Bemdita a voz que te cante,
Bemdita sejas na altura!

Estende à luz os teus ramos,
Onde a harmonia se gera!
Perfuma o ar que aspiramos…
—Dá-nos flôr na Primavera!

Cobre de verde folhagem
Teus braços, docel sombrio!
Abranda a calma da aragem…
— Dá-nos a sombra do Estio!

Os teus pomos ao Sol córa…
E pensa que ao abandono
Ha muita bôca que implora:
— Dá-me o teu fructo no Outono!

Em vindo a dura inverneira,
Seja o teu gesto mais terno!
Dá-nos calor na lareira…
— Dá-nos a lenha no Inverno!

Bemdita seja a constância
Que ha na tua protecção!
Árvore, — amor e abundância! —
— Déste-me o berço na Infância!
Dá-me na Morte o caixão!

 

João Baptista Pinto Saraiva (1866-1948)
in « Líricas e Sátiras »,
Edição da “Renascença Portuguesa”, Porto 1916
(Ortografia da edição original)