Cornus sanguinea – Sanguinho-legítimo

Cornus mas – Cerejeira-corneliana
23 juillet 2022
coroas de flores da pascoinhas - Coronilla glauca
Coronilla glauca – Pascoinhas
11 avril 2016

Sanguinho-Legítimo, Sanguinho

SANGUINHO-LEGÍTIMO

DESCRIÇÃO

Hábito: o sanguinho-legítimo é uma pequena árvore ou arbusto decíduo, ramificado com porte arredondado, de 1,5 a 5 m de altura; folhas e ramos erectos, opostos, corados de vermelho, especialmente no Outono, sob plena exposição solar. As flores agrupadas em cimeiras aplanadas, com pétalas brancas ou creme, aparecem depois do desenvolvimento das folhas. Os frutos são pequenas drupas achatadas na parte superior, negras, não comestíveis.

 

Folhas simples, opostas, ovais ou elípticas de 8 x 5 cm com base arredondada, têm 3 a 4(5) pares de nervuras secundárias, arqueadas em direcção ao ápice, este também geralmente arqueado. Margem inteira e pecíolo bem desenvolvido de 1 a 1,5 cm. Páginas superiores com indumento pouco visível (híspidas), verdes ou tingidas de vermelho se expostas ao sol, mais pálidas na página inferior; ficam purpúreas a partir de Agosto e durante o Outono antes de cair.

Flores hermafroditas brancas de 5 mm de diâmetro, que surgem em Maio e Junho,  dispostas em inflorescências corimbosas terminais de 5 cm, com 20 a 100 flores sem brácteas e com pedúnculo bastante comprido. A corola é pequena com 4 pétalas estreitas e longas de 4-6 mm, um pouco pontiagudas que rodeiam 4 estames ligeiramente mais curtos.

Frutos, pequenas drupas carnudas, não comestíveis; verdes primeiro e negro-azuladas finamente pontilhadas de branco quando maduras a partir de Setembro, com 5 a 8 mm de diâmetro, coroadas pela cicatriz circular do restos dos dentes do cálice, encerram 2 sementes. Os frutos são dispersos por vertebrados frugívoros, nomeadamente aves. Atinge a maturidade por volta dos 10 anos.

Gomos pequenos, castanho-escuro, alongados e aplicados, gemas florais não visíveis no Inverno.

Ritidoma castanho-esverdeado, primeiro liso, torna-se fissurado quando envelhece. A casca dos ramos mais jovens possui, sobretudo no Inverno, uma coloração púrpura brilhante, se exposta ao sol.

 

ECOLOGIA

O sanguinho legítimo é uma espécie que aprecia ambientes frescos; desenvolve-se de preferência em substratos calcários, aceitando igualmente os outros com pH variados, mas exige-os, no entanto, algo húmidos e férteis. Instala-se em encostas sombrias onde forma sebes nas orlas ou clareiras dos bosques caducifólios, em galerias ripícolas nas margens de pequenos cursos de água, desde o nível do mar até 1300 m de altitude. Arbusto rústico, suporta até 15° C. negativos.

Propaga-se por semente, rebentos radiculares, pimpolhos ou por mergulhia. Tem crescimento rápido. Longevidade desconhecida.

 

DISTRIBUIÇÃO

Tem distribuição natural em quase toda a Europa (excepto extremo norte e sul) e Ásia Menor.

Em Portugal ocorre apenas no território continental, com presença limitada a Trás-os-Montes, Beira Litoral e Douro Litoral. É comum em lugares frescos com solo algo húmido, como orlas de matas, castanhais e linhas de água, onde não esteja sujeito à secura ou forte insolação.

 

USO

Utillizaçao da madeira do sanguinho-legítimo

A madeira com tons creme-rosado é bastante dura, mas menos que a do seu parente (Cornus mas) e considerada como fétida; era tradicionalmente utilizada em marcenaria e no fabrico de pequenos objectos. Os troncos e ramos eram usados em cabos de ferramenta; os raminhos serviam para a cestaria; quanto aos frutos ricos em óleo, tinham várias utilizações, entre as quais iluminação e fabrico de sabão.

Arbusto Ornamental

Trata-se de um belo arbusto nativo, reconhecível pelos seus galhos jovens de um vermelho lustroso, particularmente atraente no Inverno. Interessante também pelos seus frutos negros sobre a folhagem verde brilhante, que se torna purpúrea ou cor “vinho-tinto” no Outono, bem como pelas inflorescências brancas no final da Primavera, que são muito melíferas e ligeiramente perfumadas. Adapta-se a todos os tipos de solo e forma bordaduras notáveis diante de arbustos mais altos.

O sanguinho-legítimo, auxiliar da fruticultura biológica

Prosaicamente pode-se utilizar o sanguinho-legítimo como “mesa posta” para os passeriformes nos pomares. De facto, o fruto do sanguinho-legítimo não tem interesse para os humanos, (o que não é o caso dos frutos da cerejeira-corneliana (Cornus mas)), é bastante apreciado como alimento por diversas aves e alguns mamíferos, sendo particularmente preferido por passeriformes frugívoros em detrimento de outras frutas, o que o torna um excelente aliado em pomares biológicos.

 

COMPLEMENTAR

O sanguinho tem duas subespécies

O sanguinho legítimo tem duas subespécies: Cornus sanguinea subsp. sanguinea (que ocorre em Portugal e restante Europa Ocidental et Central) e Cornus sanguinea subsp. Australis; tendo esta última distribuição no Sudeste da Europa e Sudoeste da Ásia. A distinção entre ambas baseia-se no tipo de indumento na página inferior das folhas. No caso da subespécie sanguinea, os pêlos têm uma forma simples, mais ou menos crespos, enquanto que na subespécie australis, os pêlos são naviculares e têm uma orientação paralela à das nervuras.

 

 

Família: CORNACEAE

Nome científico: Cornus sanguinea L.

Publicação: 1753

Grupo: folhosa caduca

Nomes vernáculos: sanguinho-legítimo, sanguinho, cornejo

 

Se pretende partilhar um comentário, colocar uma pergunta à comunidade, acrescentar uma informação, ou observação, saiba que é possível fazê-lo; não precisa de se registar neste sítio. Basta digitar a sua mensagem no espaço « iniciar uma conversa« , depois clique no botão enviar e escolha, “Prefiro publicar como convidado”.